Semana do Meio Ambiente: 8 práticas sustentáveis para a lavoura

04
jun
2020
imagem

No dia 05 de junho se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, e essa semana é muito utilizada para aumentar a conscientização para as práticas sustentáveis. No campo, existem uma série de ações que podem ser tomadas para tornar a lavoura mais sustentável e proteger o meio ambiente e o solo. Pensar em sustentabilidade é, basicamente, pensar na sobrevivência da produção rural a longo prazo, utilizando bem os recursos naturais disponíveis e cuidando do solo.

Veja algumas dessas práticas para começar a implantar na sua lavoura.

1- INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTA

A integração Lavoura-Pecuária-Floresta é um sistema que combina o cultivo de espécies arbóreas comerciais, grãos, forrageiras com a criação de animais em uma mesma área, de forma simultânea ou sequencial, com o uso sustentável dos solos. Com a técnica, é possível aproveitar melhor os alimentos, fibras e energia. Além disso, também são benefícios: a recuperação de pastagens degradadas, maior infiltração de água das chuvas no solo, maior retenção de água no solo, ciclagem de nutrientes, maior produção de forragem na entressafra, conforto térmico, que proporciona bem-estar animal, diversificação de atividades na propriedade, redução dos riscos climáticos e de mercado, melhoria de renda do produtor, redução da emissão de gases de efeito estufa e sequestro de carbono.

2- DESCARTE CORRETO DE EMBALAGENS

As embalagens vazias de todos os insumos usados na lavoura precisam ser descartadas corretamente. Principalmente no caso de agrotóxicos, é preciso lavar (tríplice lavagem ou lavagem de alta pressão), inutilizar as embalagens e entregar a uma unidade de recebimento indicada pelo revendedor na nota fiscal.

3 – CONTROLE DAS QUEIMADAS

As queimadas são, muitas vezes, responsáveis pela degradação do solo. As queimadas não são recomendadas para limpeza, porque induzem à queima da matéria orgânica e volatilização do nitrogênio, o que diminui a fertilidade do solo. As áreas submetidas a queimadas sucessivas tornam-se cada vez mais pobres.

4 – ADUBAÇÃO VERDE

A Adubação verde é a incorporação de plantas especialmente cultivadas para este fim ou restos de plantas forrageiras e ervas daninhas ao solo. Essa é uma forma acessível e barata para repor a matéria orgânica

5- FLORESTAMENTO E REFLORESTAMENTO

As florestas são recomendadas para a recuperação de solos degradados ou erodidos e também para a proteção de mananciais e cursos d’água. Como regra geral, devem ser reflorestadas, para fins de conservação, as áreas sem aptidão agrícola ou pecuária e as áreas definidas pela legislação (Código Florestal).

6 – MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS (MIP)

O MIP é uma técnica que consiste em manter as pragas abaixo do nível em que causam danos econômicos para as lavouras. O manejo é uma alternativa proposta para diminuir o uso de produtos químicos.

7- ROTAÇÃO DE CULTURAS

Essa prática visa o melhor aproveitamento da fertilidade do solo pelo aprofundamento diferenciado das raízes, a melhoria da drenagem, a diversidade biológica e o controle de pragas e doenças. Ao escolher as culturas que entrarão no sistema de rotação, é preciso levar em conta vários fatores: condições do solo, topografia, clima, mão de obra, implementos agrícolas disponíveis, características das culturas e mercado consumidor disponível.

8 – SISTEMA PLANTIO DIRETO

O plantio direto consiste basicamente em três etapas: colheita e distribuição dos restos da cultura antecessora para formação da palhada; aplicação de herbicidas e plantio. É um sistema muito eficiente no controle da erosão, pois mantém os resíduos vegetais sobre o solo e promove a mobilização mínima do solo.As práticas sustentáveis nas lavouras são possíveis e muitas delas trazem inclusive benefícios para a qualidade final do produto e a lucratividade da produção, mantendo uma boa produtividade e compromisso com o meio ambiente.

Comentários

Deixe seu comentário abaixo:

Receba Novidades

Cadastre-se e receba novidades no seu e-mail.